7 SINAIS QUE VOCÊ É UM LÍDER QUE TODO MUNDO QUER SEGUIR

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Não é uma questão de ser amigo ou meramente extrovertido. Funcionários se engajam mais dependendo de como seus chefes são.

Não é fácil se autoavaliar, principalmente quando se é responsável por uma equipe. “Será que estou sendo um bom líder?”, é uma dúvida mais comum do que se imagina. Dificilmente as equipes dizem exatamente o que pensam de seus chefes. Mas há alguns sinais, baseados em estudos e pesquisas com especialistas, para saber que se está no caminho certo e desempenhar bem a liderança. O site Business Insider indicou sete deles. Confira:

Em geral, você é uma pessoa positiva.

Pesquisas de 2015 apontam que pessoas felizes costumam ser líderes mais eficientes. Isto ocorre, em grande parte, porque essas pessoas enxergam a liderança de uma forma mais transformadora — principalmente no sentido de inspirar e motivar o time e estimular os indivíduos intelectualmente. Segundo essas pesquisas, ser alguém positivo é um indicador melhor sobre boa liderança do que extroversão — uma característica normalmente associada a chefes de sucesso. Isso, contudo, não quer dizer que você deve distribuir sorrisos por aí e rir a cada reunião com a equipe.

Você não teme mudanças.

Chefes jovens são vistos como mais eficientes em seus trabalhos do que seus pares mais velhos, segundo um estudo realizado com 65 mil líderes e gestores pela consultoria de desenvolvimento em liderança Zenger/Folkman. E qual a principal razão disso? Eles são mais abertos às novidades. A consultoria afirma que é possível que a falta de experiência de chefes mais jovens os torne mais otimistas sobre a eficácia das ações que propõem e se sentem mais instigados para realizarem mudanças.

Você é um pouco, digamos, chato.

Na realidade, o que isso quer dizer é que você é uma pessoa madura emocionalmente — o que significa uma pessoa estável, agradável, consciente. O psicólogo Tomas Chamorro-Premuzic, que atua no mundo dos negócios, escreveu na Harvard Business Review que os melhores gestores do mundo tendem a ser conscientes (ao invés de entusiasmados ou erráticos), educados e com bom discernimento. Esta talvez deva ser, segundo o Business Insider, a razão pela qual o CEO do Google, Sundar Pichai, seja tão bem sucedido. Ao invés de ser claramente uma pessoa emocional, como era Steve Jobs por exemplo, ele é descrito como alguém previsível que prefere permanecer fora dos holofotes.  Em outras palavras: Steve Jobs estava mais para uma exceção à regra.

Você é íntegro.

O psicológo Tomas Chamorro-Premuzic também indica que integridade é um componente chave para o sucesso de uma grande liderança. Agir de maneira não ética ou contraproducente são formas negativas de liderar e podem destruir uma empresa. Um estudo apontou que os CEOs avaliados com alto índice de integridade por seus funcionários conseguem um retorno financeiro médio de 9,4%  por vários anos — contra 1,9% dos CEOs pior avaliados. Já o psicólogo Travis Bradberry indica quais são as armadilhas que um líder deve evitar — do contrário, sua integridade estará em jogo. Uma delas é fazer tudo que os outros falam. É preciso agir agir de forma crítica, ativa e questionadora. Outra armadilha diz respeito ao microgerenciamento — produtividade é diferente para cada pessoa, líder ou equipe. A dica é deixar que as pessoas façam o melhor que podem do jeito delas.

Você trabalha duro

Anos de pesquisa sugerem que ser dedicado — ou a tendência para ser organizado e trabalhador — é um forte traço da pesonalidade que está ligado ao sucesso. Dedicação indica muito a respeito de alguém — é provável que aquele líder foi um gerente dedicado e que, provavelmente, fez um bom trabalho para chegar onde está.

Você tem visão

Outro estudo realizado pela consultoria Zenger/Folkman mostra que uma qualidade importante de líderes inovadores é a capacidade de ter uma ampla visão de futuro. Mas desenvolver essa habilidade é mais complicado do que parece. Como fazer? A coach Suzanne Bates diz que quando líderes a procuram para pedir ajuda, eles geralmente estão em falta com essa visão, ou seja, não conseguem visualizar um panorama melhor — onde podem ver tendências. Uma estratégia que ela indica para treinar é o que chama de “A Grande Ideia”. Trata-se de resumir conceitos complexos em uma declaração convincente de 25 palavras ou menos que comunica essa visão. A declaração deve ter três partes: uma proposta, um resultado e um benefício. Por exemplo: “Vamos lançar serviço 24 horas para atender melhor os clientes, aumentar a satisfação e ampliar nossa base”.

 

Fonte: Época Negócios https://goo.gl/DRMcFN