Compras com cartão de débito e crédito devem crescer em 2017

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

De acordo com uma projeção da Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito (Abecs), compras com cartão de débito e crédito devem crescer 6,5% em 2017, movimentando uma cifra recorde de R$ 1,22 trilhão. Somente em 2016, no terceiro trimestre do ano, os brasileiros movimentaram R$ 175 bilhões com o uso de cartões de crédito, e R$ 108 bilhões com os de débito, altas de 4% e 8,4%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2015. Com esses resultados, a Abecs também projeta para 2016 crescimento de 6,5% nas transações, que devem somar R$ 1,14 trilhão.

O levantamento da Abecs aponta ainda que o saldo da carteira de cartões de crédito atingiu R$ 172,5 bilhões em agosto, superando o estoque de papel moeda em circulação pela primeira vez na história. De acordo com a pesquisa, apenas um em cada 10 usuários de cartões de crédito utiliza o rotativo como crédito emergencial. Isto mostra que a grande maioria das pessoas usa o cartão de forma consciente e sabe aproveitar os benefícios sem pagar juros.

O especialista em Educação Financeira Uesley Lima aponta a comodidade, a praticidade, o financiamento rápido e outras características responsáveis por fazer do cartão de débito e crédito (principalmente) serem cada vez mais usados pelos brasileiros. Lima ainda sugere aos consumidores aproveitar os benefícios concedidos pelas administradoras de cartão, que oferecem programas diferenciados para atrair os consumidores ou criar um plano de fidelidade. De acordo com o especialista, algumas administradoras, por exemplo, convertem o valor das compras dos consumidores em descontos e milhas de passagens aéreas. “Há ainda descontos em produtos e serviços, premiações etc”, considera.

Porém, mesmo diante desses benefícios oferecidos, Lima diz que os consumidores precisam continuar atentos ao fazerem uso do cartão de crédito ou débito para realizar suas compras. “É preciso usar os cartões com moderação, principalmente na época atual que vivemos de crise e desemprego, para evitar o endividamento”, alerta. A seguir, confira alguns cuidados que o especialista Lima afirma que devem ser tomados ao usar o cartão de crédito ou débito:

  • Certifique-se de que o estabelecimento não está cobrando um valor superior por se tratar de compra no cartão. Quando houver cobrança de juros, pague à vista, se possível. O pagamento com cartão de crédito também pode ser parcelado de duas formas: financiado pela administradora do cartão, com a cobrança de juros, ou parcelado pela loja, sem juros. Em ambos os casos você tem o direito de saber exatamente quanto pagará na sua compra, então pergunte;
  • Tenha sempre controle dos seus gastos! Parece óbvio, mas muitas pessoas não conseguem visualizar o valor das despesas, deixando que se transformem em uma “bola de neve” e, por isto, perdem o controle de suas contas e se endividam;
  • Cuidado com o consumo impulsivo. O comércio oferece “tentações” para estimular as compras, que na maioria das vezes são desnecessárias. O financiamento rápido e prático que o cartão de crédito oferece pode fazer com que a pessoa caia na armadilha da compra pela emoção, e sem calcular quanto realmente consegue gastar, acaba comprando compulsivamente. A dica então é: se você é um potencial consumidor compulsivo, que corre o risco de gastar desenfreadamente, não use o cartão de crédito!
  • Além de termos que pagar a fatura do cartão, para termos os benéficos do uso do mesmo, a maior parte das administradoras cobra anuidade. Então, opte por cartões que não cobrem anuidades no primeiro ano. E fique atento: quando a data de renovação estiver próxima, tente negociar um desconto;
  • Escolha uma data de vencimento da fatura próxima ao dia do recebimento de seu salário para facilitar o controle de suas despesas e ajudar no seu orçamento. Procure pagar a fatura sempre em dia. As principais causas de endividamento do brasileiro são justamente dívidas com cartão de crédito e cheque especial, isto porque a taxa de juros destas são as mais elevadas. Se perceber que não vai conseguir quitar o valor, procure o banco e negocie um empréstimo no montante da dívida. Pague a fatura e passe a dever em outra modalidade, que provavelmente cobrará juros mais baixos;
  • Guarde os canhotos das compras efetuadas com o cartão de crédito para ter uma estimativa do valor que será cobrado em sua fatura. Assim, você poderá se preparar para pagá-la na data do vencimento. Se possível, anote todas as compras em uma planilha ou caderno, para visualizar melhor o valor de quanto foi gasto;
  • Armadilha à vista: não aceite um limite de crédito muito acima de suas possibilidades de pagamento! Faça o orçamento de seu cartão com base em sua renda mensal e nunca conte com um dinheiro que ainda vai receber.

Para o cartão de débito, o especialista diz que os riscos são menores, pois acaba funcionando como dinheiro: você compra e já paga na hora. “Porém, tenha muito cuidado e certeza de que possui na conta o saldo suficiente para pagar as contas, pois caso contrário, pode adquirir um empréstimo, rápido e perigoso, e acabar entrando no cheque especial com umas das maiores taxas de juros do país”, observa.

Para acompanhar mais informações sobre educação financeira com o especialista Uesley Lima, basta segui-lo em suas redes sociais! Periscope: Uesley Carvalho Lima; Instagram: @uesleylima.

Por:  Rodrigo Bernardino

Fonte: https://goo.gl/2oMWqA