Mercado de crédito: como funciona

Mercado de crédito: como funciona
Continue a leitura e saiba mais sobre o que é o mercado de crédito, como ele funciona, quais os tipos de crédito e o que influencia esse cenário.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Realizar as compras à crédito é uma forma de  pagamento que historicamente tem muitos adeptos e vem se consolidando cada vez mais no mercado: seja através do crédito em linhas de empréstimos e financiamentos ou por meio do cartão de crédito, que é um dos meios mais utilizados. 

Sem sombra de dúvidas, o acesso ao crédito de forma facilitada permitiu a realização de muitos sonhos para as pessoas e a concretização de muitos investimentos para as empresas, ampliando a capacidade de pagamento para aquisição de produtos e serviços.

Mas, até que o crédito esteja efetivamente na mão do consumidor, é necessário uma estrutura organizada e ágil que opere com fluidez e segurança.

Para entender melhor, continue a leitura e saiba mais sobre o que é o mercado de crédito, como ele funciona, quais os tipos de crédito e que fatores  influenciam esse cenário. 

O que é o mercado de crédito

Em resumo, o mercado de crédito refere-se ao sistema macro que envolve operações de concessão de crédito, possibilitando que pessoas físicas e jurídicas “comprem dinheiro”. É verdade que o ato de emprestar valores não é algo novo: essa prática sempre existiu e, muito provavelmente, sempre vai existir. 

O atual mercado de crédito, por sua vez, é responsável por regulamentar essa atividade de maneira segura, transparente e confiável. Apesar de estar sob a responsabilidade do Sistema Financeiro Nacional, o mercado de crédito não é totalmente padronizado e é por isso que há diversas taxas e prazos para um mesmo tipo de crédito. 

Como o mercado de crédito funciona

Entendendo o conceito geral do mercado de crédito, é hora de compreender como ele se aplica. Antes de mais nada, é importante salientar que, essencialmente, são duas instâncias que compõem a concessão de crédito: de um lado, está quem utiliza o crédito, chamado de tomador; e, de outro, está quem oferta o crédito, no caso, o credor. 

O tomador pode ser pessoa física ou jurídica que usa o crédito para fins diversos. O credor, por sua vez, representa uma instituição que oferece o crédito. São exemplos de credores, instituições como: bancos privados e públicos; cooperativas de crédito; empresas de cartão de crédito; administradoras de consórcios.

A relação entre esses dois agentes constitui o funcionamento do mercado de crédito. Assim, cada transação de oferta de crédito considera o valor concedido, o prazo de pagamento, as garantias, os fins para os quais o dinheiro será utilizado e os juros.

Com base nestes fatores, após  a análise personalizada do perfil do tomador de crédito, acontece, de fato, a concessão – ou não – do crédito.

Dica: Saiba ter gerenciamento especializado para a concessão de crédito

Tipos de crédito no Mercado

A operação, de fato, é a mesma. No entanto, o mercado de crédito é categorizado de acordo com a finalidade da utilização do valor disponibilizado ao tomador. 

Assim, em duas grandes instâncias, estão os créditos destinados à pessoa física e os créditos para pessoa jurídica. Vamos nos concentrar nas principais formas, sabendo que há outras possibilidades: 

Crédito pessoal 

O crédito pessoal, como o próprio nome sugere, refere-se a uma forma de empréstimo destinado exclusivamente para pessoa física. Para esta modalidade, não há a necessidade de oferta de garantia, nem a comprovação da finalidade do uso do valor. É uma das linhas mais acessíveis e fáceis de trabalhar, em função de seu processo ser menos burocrático. 

Crédito consignado

Destinado para públicos selecionados, o crédito consignado está diretamente relacionado ao desconto automático do parcelamento via folha de pagamento. Assim, ele está disponível para aposentados e pensionistas do INSS, trabalhadores assalariados de empresas privadas e servidores públicos .

Trata-se de uma modalidade única, exatamente por sua forma de pagamento: ao atrelá-lo ao recebimento da renda, diminui-se a inadimplência.  

Cheque especial

Atualmente, o cheque especial responde por grande parte do endividamento dos brasileiros; por isso, é super importante entender o que é, e como utilizá-lo de forma saudável. 

Esta modalidade consiste em uma linha de crédito concedida por uma instituição financeira, que é pré-aprovada, ou seja, não requer a solicitação do cliente. Geralmente é usada para imprevistos financeiros pontuais, sendo de fácil acesso para o tomador. 

Cartão de crédito

Por fim, o cartão de crédito é a união de duas soluções financeiras: a concessão de crédito e um meio de pagamento. Trata-se de um crédito “em forma física ou digital ”, já que está materializado em um cartão ou app. Por meio deles, o tomador tem um valor (limite) a ser utilizado conforme sua necessidade. De acordo com o gasto desse limite em um determinado período, é gerada uma fatura a ser paga em data fixa, posterior à compra. Se o pagamento  for efetuado dentro do prazo, não há cobrança de juros sobre a operação. 

O que influencia no mercado de crédito

Como tudo que acontece no que se refere às questões financeiras, o mercado de crédito também é permeado por fatores externos que influenciam em mudanças e regramentos, e a definição da taxa de juros é um desses fatores. 

Os elementos considerados no cálculo da taxa de juros são vários, o que torna esta taxa bastante variável. Por exemplo, quando o crédito é pago em sua totalidade de forma antecipada, gera-se uma taxa de juros menor. Da mesma forma, caso o crédito não seja pago no prazo estipulado, a taxa de juros aumenta. 

Quando acontece o relacionamento do tomador com o credor por meio de outros produtos ou serviços, o credor pode oferecer uma vantagem na hora de conceder o crédito, melhorando a taxa de juros ou prazo.  

Há também, diversas questões a serem consideradas como o cenário econômico e a taxa Selic é uma delas. Para o credor, quanto menor for sua dependência de outros agentes, melhores serão as condições ofertadas aos seus clientes e, portanto, maiores as chances de aumentar seus lucros com o crédito. 

Com as soluções da WayUp Brasil, o lojista descomplica a concessão de crédito, podendo flexibilizá-la de acordo com as suas necessidades e os perfis dos seus clientes. Assim, você pode estabelecer uma relação direta com o consumidor, eliminando agentes intermediadores e, é claro, se tornando uma opção muito mais vantajosa para seu público.

A WayUp está ao seu lado para que você, lojista, possa alavancar suas vendas e aumentar as receitas do seu negócio: é mais rentabilidade para você!

Clique aqui, acesse nosso site e conheça tudo que a WayUp pode oferecer para a sua empresa!