Saiba as principais causas de inadimplência de seus clientes

Principais causas da inadimplência
A falta de planejamento financeiro e a instabilidade econômica são alguns dos principais fatores que causam a inadimplência. Saiba como evitar a falta de pagamento de seus clientes.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

De acordo com a Serasa Experian, em dezembro de 2021, o número de consumidores inadimplentes no Brasil chegou a 63,97 milhões. No total, a dívida alcançou o valor de R$ 252 bilhões, uma média de R$ 3.938,51 por pessoa. As causas da inadimplência são muitas e foram ainda mais acentuadas nos últimos dois anos devido à pandemia, que afetou drasticamente a renda do trabalhador formal e informal. 

Para o comércio varejista, a inadimplência é um desafio a ser enfrentado, já que o setor também é impactado de forma negativa, com vendas reduzidas e risco de falta de dinheiro em caixa. A seguir, vamos conhecer as principais causas da inadimplência no Brasil e como evitar que isso aconteça com seus consumidores. 

Dica: 4 tendências no mercado de crédito

Principais causas de inadimplência 

O desemprego é a causa mais conhecida da inadimplência, mas não é a única. A seguir, saiba mais sobre essa e outras situações bem comuns que fazem com que o consumidor deixe de pagar as suas dívidas dentro do prazo.

Desemprego 

De acordo com a última pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil possui um total de 13,5 milhões de desempregados. Os dados são do terceiro trimestre de 2021.

Quando uma pessoa perde o seu vínculo de trabalho, a primeira estratégia encontrada para se sentir mais seguro financeiramente é deixar de quitar as dívidas para pagar as necessidades básicas, como a alimentação e moradia.

Por essa razão, o desemprego é a principal causa de inadimplência entre os brasileiros. Apesar de muitos cidadãos entrarem no mercado informal de trabalho, nem sempre a renda é suficiente para cobrir todos os gastos da família.

Redução da renda familiar 

A redução da renda familiar pode acontecer por causa do desemprego e do aumento da inflação, que diminui o poder de compra do consumidor. Diante dessa situação, ele precisa gastar mais em despesas básicas, deixando de lado o que para ele, naquele momento, não é mais urgente, como as faturas do cartão de crédito, por exemplo.

Atraso de salário 

Não receber o salário no dia certo também colabora para o não pagamento das contas, especialmente quando o atraso é recorrente, o que implica em juros e aumento considerável no valor total da dívida

Como nem sempre o trabalhador possui um fundo de emergência para cobrir esses imprevistos, a inadimplência se torna inevitável.

Falta de educação financeira 

A educação financeira consiste no uso consciente e saudável do dinheiro, com controle de gastos e o hábito de poupar. 

Contudo, de acordo com o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), aproximadamente metade dos brasileiros não têm educação financeira e gastam o dinheiro de forma descontrolada. O resultado são muitas dívidas e pouco, ou nenhum, dinheiro para quitá-las.

Excesso de parcelamento 

Aquela parcela pequena, que parece encaixar no orçamento, somada a outras parcelas existentes resulta em uma quantia bem maior na fatura.

No final do mês, o consumidor não consegue arcar com todos os parcelamentos, atrasa o cartão de crédito ou paga apenas o valor mínimo e adquire uma dívida bem maior no mês seguinte por causa da incidência de juros.

Compras para outras pessoas 

No Brasil, emprestar o nome para que outras pessoas adquiram algum produto, seja uma compra no cartão de crédito ou um empréstimo, é uma prática muito comum. Mas, também é muito arriscada.

Mesmo quando se limita a comprar produtos apenas para familiares e amigos próximos, a chance do consumidor bonzinho precisar pagar sozinho as contas no final do mês é muito grande. E quando não consegue, ele se torna um inadimplente.

Doenças 

O ideal é que todos tenham uma reserva de emergência para imprevistos, como algumas doenças. Porém, poucas pessoas fazem isso. 

Quando um imprevisto do tipo acontece, o dinheiro para cobrir consultas, exames e remédios acaba sendo retirado do orçamento mensal, já bastante comprometido pela inflação. Mais uma vez, as dívidas consideradas não prioritárias acabam ficando em segundo plano.

Crédito fácil 

O crédito fácil oferecido de forma indiscriminada também favorece a inadimplência. Como vimos, a educação financeira não é presente no Brasil. Por isso, quando o consumidor tem acesso a muitos empréstimos e cartões de crédito, por exemplo, o risco do descontrole financeiro é bem maior.

Como evitar a inadimplência de consumidores 

Como a inadimplência do consumidor é tão negativa para o lojista, o que ele pode fazer para evitar ou reduzir o risco de dívidas não pagas? Temos algumas dicas que podem ajudar a solucionar essa questão. Veja só:

Desenvolva uma política de crédito 

A política de crédito é o oposto do crédito fácil. São regras e critérios que uma empresa cria para reduzir o risco de inadimplência na concessão de empréstimos e cartão de crédito para os seus clientes.

Com a política de crédito, o gestor consegue proteger a saúde financeira do seu negócio, tornando a concessão mais rigorosa, e implantar um sistema de acompanhamento e cobrança.

Ofereça melhores condições de pagamento 

Estude maneiras de ofertar melhores condições de pagamento para o seu cliente, seja optando por cartões próprios da loja, descontos para pagamentos à vista, parcelamento sem juros até determinado limite de parcelas, entre outras opções.

Dica: Como melhorar o pós-venda no varejo

Renegocie as dívidas 

A renegociação de dívidas é uma estratégia indispensável e muito positiva para estimular o pagamento de débitos. Para desenvolver essa atividade é indicado ter um setor específico de cobrança.

A empresa deve entrar em contato com o consumidor e oferecer condições atraentes para quitar a dívida, com descontos para pagamento à vista ou parcelas mais suaves, por exemplo.

Utilize recursos digitais para iniciar a comunicação, como as mensagens pelo WhatsApp e o e-mail. É importante entender a razão da inadimplência para adotar um contato personalizado, empático e que realmente garanta resultados satisfatórios para a empresa. 

Conheça seus clientes 

Toda empresa precisa estudar e conhecer os hábitos de consumo do seu cliente, além do risco dele se tornar um inadimplente.

Para saber mais sobre o seu público, busque por empresas que disponibilizam conteúdo sobre o tema, como o SPC e o Serasa. Além de oferecer serviços e ferramentas diversas, essas organizações realizam pesquisas frequentes que mostram dados sobre as relações de consumo do brasileiro.

Com essas informações, é possível traçar uma estratégia direcionada para evitar a inadimplência do seu cliente e driblar a falta de pagamento.

Conheça os serviços financeiros da WayUp

A inadimplência é um problema enfrentado por muitos lojistas, mas pode ser controlada e reduzida com medidas de prevenção, como o desenvolvimento de uma política de crédito segura e bem executada.

Ofereça o cartão de crédito próprio da sua loja e melhore as condições de pagamento dos seus clientes. O WayCard possui limite de crédito ajustável de acordo com o perfil do cliente, programa de fidelidade e clube de vantagens.

A WayUp também oferece suporte para a gestão de crédito, com os seguintes serviços:

  • Avaliação de perfil de cliente;
  • Análise de riscos;
  • Serviço de cobrança. 

Nossas ferramentas são desenvolvidas a partir de tecnologias modernas, como a Inteligência Artificial e Biometria Facial. Conheça a WayUp e aproveite nossas vantagens.