Saiba como a inflação impacta o seu negócio

ilustração do índice de inflação
Com a inflação em alta, as empresas vendem menos, o que reduz o faturamento e também o lucro. Saiba como driblar os prejuízos.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A inflação deve continuar em alta pelo resto do ano de 2022. Essa é a projeção do mercado financeiro, identificada pelo Banco Central e divulgada pelo Boletim Focus do último dia 7 de novembro. Para o consumidor, a inflação é uma situação negativa, pois reduz o seu poder de compra. Mas, como a inflação afeta o crescimento das empresas? É sobre isso que falaremos a seguir.

O que é inflação? 

A inflação pode ser definida como a redução do poder de compra do consumidor, causada pela elevação dos preços de produtos e serviços e pela desvalorização da moeda financeira em uso.

Com o aumento constante de preços, as pessoas não conseguem mais comprar a mesma quantidade de itens em um supermercado tendo em mãos  os mesmos recursos de antes, por exemplo.

Essa elevação está associada à alta dos combustíveis, aos custos de produção e também à baixa demanda do consumidor.

E se a inflação traz danos ao bolso e à mesa das famílias, com as empresas não é muito diferente, como veremos mais adiante.

Quais são os indicadores da inflação? 

Os indicadores são usados para medir a inflação e entender a forma com que a economia afeta a vida das pessoas e também do segmento empresarial. Conheça os principais:

IPCA 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é o indicador mais comum e mostra o quanto o consumidor é atingido com a elevação da inflação. O IPCA é calculado mensalmente e leva em conta despesas básicas, como saúde, educação, habitação, transporte, vestuário, gastos pessoais etc. 

IGP-DI

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) calcula a inflação nas empresas, sendo formado pela média de outros três índices: o INCC, o IPA e o IPC. O cálculo leva em conta a elevação de preços nos primeiros 20 dias de cada mês.

IGP-M

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) é um indicador que analisa todas as fases da produção, incluindo a fase de aquisição de matérias primas e insumos até o valor final de cada item. O IGP-M é observado do dia 20 ao dia 21 do mês seguinte.

IPC – Fipe

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) identifica os gastos de famílias com um conjunto fixo de despesas, incluindo vestuário, habitação, alimentação, saúde, educação e outros. Aqui, o foco são famílias que recebem até 33 salários mínimos.

INPC 

O público-alvo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) são famílias que recebem até 5 salários mínimos. O INPC também avalia as despesas dessas pessoas com a cesta básica de serviços e produtos.

IPC-S

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) estuda a variação de preços em sete capitais brasileiras: São Paulo, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Rio de Janeiro. 

Como a inflação impacta o seu negócio? 

As empresas são afetadas diretamente pela inflação, uma vez que se trata de uma condição econômica externa comum, sobre a qual não existe muito controle, e que atinge diretamente o bolso do consumidor. Vamos conhecer as consequências mais comuns para a sua empresa.

Aumento do custo operacional 

Como vimos, os custos com a produção são uma das causas da inflação e também são uma consequência para as empresas, gerando um círculo vicioso. Com matérias-primas custando bem mais, a empresa paga mais caro, refletindo na elevação dos custos operacionais.

Redução das vendas

A primeira resposta do consumidor diante de preços elevados é não comprar. Assim, a empresa vende menos e tem menos lucro também.

Acesso ao crédito mais caro

A inflação eleva as taxas embutidas em empréstimos e financiamentos. Com isso, há mais riscos de inadimplência, um grande perigo, principalmente, para os pequenos negócios.

Bem-estar dos colaboradores

Com custos mais altos, lucro abaixo do esperado e previsões pouco agradáveis do mercado, as empresas precisam reduzir seus gastos para garantir a estabilidade durante a crise. 

Algumas dessas medidas atingem diretamente os colaboradores e podem incluir a redução de promoções e benefícios extras, podendo chegar a demissões. É uma situação que desperta insegurança nos funcionários e compromete, inclusive, a sua produtividade.

Como driblar os efeitos da inflação no seu negócio? 

A inflação é um fator externo real e, de certa forma, previsível. Por isso, é importante avaliar o mercado constantemente e buscar formas de atenuar seus efeitos danosos. Confira algumas dicas:

Melhore seu relacionamento com os fornecedores

Avalie a atuação de cada fornecedor, os preços cobrados, a qualidade do produto recebido, os demais custos, os prazos de entrega etc. Descubra como pode aperfeiçoar essa parceria, de forma que ela seja benéfica para o seu negócio.

Aqui, você pode estudar melhor o contrato firmado e buscar preços mais atraentes em outros fornecedores. Sempre é possível encontrar pontos de melhoria dentro da relação fornecedor e empresa. Fique atento a isso.

Priorize a gestão de estoque eficiente

Para que seja sustentável em tempos de crise e instabilidade financeira, o estoque não pode ter excesso ou falta de produtos. A meta deve ser manter uma quantidade suficiente para cobrir as variações do mercado e garantir preços de revenda mais vantajosos.

Desenvolva uma boa gestão de gastos e despesas 

Cortar gastos é uma das primeiras estratégias das empresas diante de crises econômicas. Contudo, a redução de despesas deve ser feita com muito cuidado, atenção e observação do mercado para evitar danos ainda maiores no futuro.

Antes de tudo, é preciso cortar o que for realmente supérfluo, que não gera retorno algum. Em seguida, é preciso avaliar cada item identificando a sua relevância e participação no faturamento e crescimento da empresa. 

Ofereça boas condições de pagamento aos consumidores 

Melhorar e facilitar o acesso do seu público consumidor ao cumprimento das necessidades dele é uma estratégia que dá muito certo. Assim, a sua loja se torna uma parceira importante nesse momento difícil.

Por isso, uma das apostas das empresas é o cartão de crédito próprio, com condições e serviços diferenciados para cada tipo de cliente e  maior retorno para o negócio. 

Além de fortalecer o poder de compra do consumidor, a empresa também pode pensar em parcelamentos mais longos, taxas mais competitivas e serviços mais atraentes para atrair o cliente, trazendo resultados mais rápidos e satisfatórios.

Saiba como a WayUp pode ajudar o seu negócio 

A WayUp Brasil é uma administradora de meios de pagamento, especialista em produtos financeiros e gestão de programas de relacionamento. Com a WayUP, a sua empresa pode ter um cartão de crédito próprio.

Com o WayCard, a sua empresa melhora as condições de compra do seu cliente e eleva o faturamento, para atravessar os momentos de inflação alta.

A WayUP é a sua melhor parceira para retornos rápidos e seguros. Conheça os nossos serviços e faça conosco o seu melhor investimento.