Análise de mercado: o que é, como fazer e importância

Análise de mercado: o que é, como fazer e importância
A análise de mercado é uma pesquisa que revela dados importantes para empresas que desejam começar um negócio ou expandir suas atividades. Vamos saber como funciona, qual sua importância e como aplicar uma análise de mercado?
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Sempre que o empreendedor está planejando abrir ou expandir o seu negócio, escuta uma orientação muito comum: fazer a análise de mercado. Mas, o que, de fato, é a análise de mercado? Por que ela é tão importante e como aplicá-la na prática? Se você também tem essas dúvidas, continue lendo e aprenda a desenvolver o seu projeto com muito mais segurança.

Você sabe o que é análise de mercado? 

A análise de mercado nada mais é do que um estudo embasado em pesquisas em que são coletadas informações importantes, que vão influenciar na atuação daquela empresa. Alguns desses dados são:

  • Os hábitos de consumo do cliente;
  • A atuação da concorrência;
  • Os fornecedores existentes;
  • A precificação dos produtos;
  • Os impactos da economia e dos demais setores externos sobre o negócio, dentre outras informações.

Esse estudo é o que chamamos também de análise do microambiente e do macroambiente, termos que serão melhor explorados mais adiante.

Vale lembrar que a análise de mercado não é necessária apenas na abertura de um negócio. A pesquisa também é essencial quando a empresa deseja se expandir, seja investindo em um novo produto ou abrindo uma filial, por exemplo.

Por que a análise de mercado é importante? 

A análise de mercado é de fundamental importância para que a empresa possa sentir como o seu produto ou serviço será recebido pelo público consumidor. Desta forma, é possível atender àquela necessidade existente e identificada.

Em outras palavras, é uma forma de não “atirar no escuro”. Pelo contrário, com a análise de mercado o gestor consegue ter uma visão clara do que o espera, o que o seu público deseja, quais falhas a concorrência está cometendo e como ele pode usar esta fraqueza a seu favor, oferecendo um diferencial.

Com todas as informações em mãos, e traçando um planejamento bem organizado, a empresa está menos suscetível aos riscos comuns do setor, que é o fechamento das portas após poucos anos de atuação.

Estudos realizados frequentemente pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Microempresas) apontam que a falta de pesquisa de mercado é uma das causas mais comuns do fechamento de empresas com menos de 5 anos de vida.

Então, não basta tirar um projeto do papel. É preciso saber se ele é viável e sustentável, o que é possível mensurar através de um bom estudo de mercado.

Dica: Business intelligence: o que é e sua importância

Como fazer análise de mercado? 

A análise de mercado se divide em quatro etapas, igualmente importantes, sobre as quais falaremos mais a seguir:

Conheça o setor

Nessa primeira etapa, é importante saber como está o setor, como a concorrência está trabalhando, quais são as exigências legais necessárias, como a economia está impactando naquele segmento etc.

Uma ferramenta muito interessante para usar nesse momento é a Análise Swot, que tem uma execução muito simples. SWOT é uma sigla para os termos: 

  • Strengths (forças);
  • Weaknesses (fraquezas);
  • Opportunities (oportunidades);
  • Threats (ameaças).

O gestor deverá analisar a sua empresa e identificar os seus pontos fortes, os pontos fracos, as oportunidades que ele poderá aproveitar e as ameaças que poderão dificultar o seu trabalho. Tudo isso em relação ao mercado.

Estude o público-alvo

O passo seguinte é estudar a fundo o consumidor, tanto em números como em comportamento. Quanto mais informações o gestor coletar, mais material ele terá para trabalhar e adequar a empresa àquela demanda.

O estudo do público-alvo é importante não só para entender as necessidades daquelas pessoas, mas também para delimitar a área de atuação da empresa. Alguns pontos que devem ser averiguados são:

  • A classe social;
  • O gênero;
  • Os hábitos de consumo;
  • Região onde mora, etc.

Nesse ponto, pesquisas realizadas por órgãos específicos ajudam bastante, como os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), por exemplo.

Um ponto que também deve ser destacado aqui é a identificação da real necessidade do consumidor e não o que a empresa acredita que seja. O gestor até pode achar que tem uma solução milagrosa para determinada situação, mas se o público-alvo não compartilhar da mesma ideia, o projeto não evolui.

Conheça os concorrentes e seus fornecedores

Aqui, temos dois pontos essenciais e que afetam diretamente o desempenho da empresa que são a concorrência e a lista de fornecedores. Alguns dados que devem ser avaliados nesta etapa são:

  • Os preços aplicados na aquisição e na venda do produto ou serviço;
  • Os diferenciais da concorrência;
  • Os prazos estipulados para a aquisição e entrega de mercadorias etc.

O objetivo não é pautar a atuação da empresa nas ações da concorrência, mas reconhecê-la como parte relevante, observar suas estratégias e ver o que é possível fazer de diferente ou similar para atrair e reter o consumidor.

Avalie as projeções do mercado

Por fim, temos a projeção de mercado, o momento em que o gestor deverá olhar para o futuro e entender o que esperar dele em um, dois ou três anos, pelo menos. Quais serão os impactos da economia, das novas tecnologias e das mudanças no hábito de consumo do público-alvo sobre o negócio?

Prever o cenário, de forma mais fidedigna possível, é importante para que a empresa consiga não só se estabelecer no mercado, mas evoluir e crescer de forma sustentável e saudável ao longo do tempo.

Dica: Ticket médio: o que é, como calcular e como aumentar o indicador

Entenda a diferença entre macroambiente e microambiente? 

Vimos anteriormente que, quando fazemos pesquisa de mercado, devemos observar o ambiente externo e o ambiente interno, também chamados de macroambiente e de microambiente.

O macroambiente engloba os aspectos políticos, econômicos, sociais, tecnológicos, ecológicos e legais que influenciarão no desempenho da empresa.

Já o microambiente se refere aos aspectos internos da empresa e do segmento, como os concorrentes, os consumidores e os fornecedores. 

Dessa forma, o gestor consegue ter uma visão abrangente e também específica do seu espaço de atuação e trabalhar de acordo com aquele momento que ele está vivendo, dentro e fora da empresa.

O que fazer com as informações coletadas? 

Tudo bem, mas depois de coletar todas as informações na análise de mercado, qual o próximo passo? O que deve ser feito em seguida é a análise qualitativa e quantitativa de todos os dados, de forma honesta e clara.

Então, além de todos os outros pontos já citados, é muito importante averiguar a precificação do produto ou serviço que será lançado e definir os KPIs internos que serão utilizados para monitorar o desempenho da empresa.

Dentre os principais KPIs utilizados em diferentes metodologias de gestão estão:

  • Indicador de receita: mensura o volume da receita obtida com a venda de produtos e serviços;
  • CAC: o custo de aquisição por cliente vai dizer quanto a empresa gastou para atrair e conquistar aquele consumidor;
  • Margem de lucro: define o lucro obtido após determinado investimento;
  • Ticket médio: valor médio gasto por cada cliente ou em determinado período;
  • KPI de produtividade: avalia o nível de produtividade da equipe e da empresa;
  • KPI de qualidade: identifica a qualidade do que está sendo ofertado, com base em padrões estabelecidos previamente;
  • ROI: retorno sobre investimento, que avalia o retorno financeiro de determinada aplicação de receita.

Além destes, existem muitos outros KPIs que podem ser utilizados de acordo com a necessidade da empresa.

Saiba como a WayUp pode ajudar o seu negócio 

A WayUp Brasil é uma administradora de meios de pagamento e oferece serviços financeiros para empresas que sonham em proporcionar a melhor experiência para seus clientes.

Além de elevar a capacidade de crédito do consumidor, a WayUp auxilia a empresa a construir um relacionamento saudável e duradouro com seu público, essencial para a estabilidade do negócio futuramente.

A WayUp oferece:

  • Cartão próprio da loja;
  • Programas de fidelidade;
  • Análise e liberação de crédito online, realtime;
  • Implantação rápida e sistemas online.

Conte com a WayUp para ser sua parceira nessa nova empreitada e tenha o nosso apoio para iniciar um projeto de sucesso.